Arquivo para março, 2010

Trote Estudantil

Posted in Uncategorized on março 17, 2010 by Eliane Amaral


Um trote estudantil leve

Nas universidades brasileiras a cada início de ano letivo, ou semestre, há o costume de aplicar o chamado trote nos alunos novatos, que são chamados de “calouros” ou “bixos”. O trote é basicamente um rito de passagem, os veteranos estabelecem tarefas aos calouros, as tarefas são classificadas em leve, mediana e grave.

Leve

Pintura corporal: os veteranos pintam o rosto, os braços, a camiseta, as calças dos calouros com o nome da universidade e o curso.

Raspagem de cabelo: é quando raspam o cabelo do bixo. Esse tipo de trote é aplicado nos homens.

Mandar casar os calouros: o menino deve tirar um papelzinho da boca de uma menina, com sua própria boca, sem usar as mãos.

Mediana

Mergulho: os calouros são obrigados a se molhar completamente entrando em fontes, piscinas, etc.

Pedágio: os calouros devem pedir dinheiro nos sinais aos motoristas, e só terminam a tarefa quando atingem o valor estipulado pelos veteranos.

Graves

Mastiguinha: força-se o calouro a ingerir comida previamente mastigada por um veterano.

Chispada: o calouro deve correr nu em público, tal ato pode causar sua detenção para prestar esclarecimentos.

Esse costume brasileiro é similar ao praticado em Portugal, onde se diferem especialmente no fato de que no Brasil os trotes estudantis são aplicados em universidades, já em Portugal também são aplicados nas escolas. É interessante ter brincadeiras no primeiro contato de um jovem com a universidade, desde que as brincadeiras não sejam humilhantes, constrangedoras e não provoquem nenhuma lesão física.

Observamos que trotes violentos têm crescido consideravelmente no Brasil, um desses trotes foi aplicado em um calouro do curso de medicina da USP, no dia 22 de fevereiro de 1999, cujo resultado foi a morte por afogamento do estudante. Na tentativa de amenizar essa realidade, muitas universidades baniram o trote estudantil ou substituíram pelo “trote solidário” (no qual os calouros devem doar sangue, arrecadar alimentos ou realizar algum trabalho comunitário).

Por Eliene Percília
Equipe Brasil Escola

Anúncios

Pedofilia – Grite contra esse crime

Posted in Uncategorized on março 17, 2010 by Eliane Amaral

É definido, pela Organização Mundial da Saúde, como a ocorrência de práticas sexuais entre um indivíduo maior de 16 anos com uma criança na pré-puberdade. A psicanálise encara a pedofilia como uma perversão sexual.

Não é uma doença, mas sim uma parafilia, um distúrbio psíquico que se caracteriza pela obsessão por práticas sexuais não aceitas pela sociedade, como o exibicionismo e o sadomasoquismo. Muitas vezes o pedófilo apresenta uma sexualidade pouco desenvolvida e teme a resistência de um parceiro em iguais condições. Sexualmente inibido, escolhe como parceiro uma pessoa vulnerável.

Em aproximadamente 25% dos casos, o pedófilo foi uma criança molestada. O erotismo infantil está ligado à trajetória da humanidade. Em aproximadamente 450 culturas tradicionais, a idade perfeita para contrair matrimônio está entre 12 e 15 anos. Fisiologicamente, quanto mais jovem for a mulher, maiores são as chances de ocorrer uma fecundação bem sucedida.

Segundo psicólogos especialistas em agressão infantil de Michigan, nos Estados Unidos, cerca de 80% dos casos de abuso sexual de crianças acontecem na intimidade do lar: pais, padrastos e tios são os principais agressores.

O abuso sexual de menores gera danos na estrutura e nas funções do cérebro da criança molestada, incluindo aquelas que desempenham papel importante na memória e nas emoções. A internet é o maior veículo de propaganda de erotismo infantil nos dias atuais. Nos Estados Unidos a produção e a comercialização da pornografia infantil são proibidas desde 1970.

No Brasil, o Estatuto da Criança e do Adolescente, em seu artigo 241, estabelece a pena de detenção de um a quatro anos e multa para quem “fotografar ou publicar cena de sexo explícito ou pornografia envolvendo criança e adolescente”.

Por Eliene Percília
Equipe Brasil Escola